terça-feira, 5 de agosto de 2008

A culpa é toda sua

Você quer saber mesmo? A verdade é que eu te odeio.

Te odeio por você nunca ter sido cafajeste. Você teve zilhões de oportunidades para me mandar passear, me deixar na mão, falando sozinha. Em todas elas você foi companheiro. Você brigou comigo quando achava que eu estava errada. Até hoje me olha feio quando eu pulo uma refeição pra comer bobagem.

Eu te odeio por você estar sempre ao meu lado. Por nunca ter deixado de ser amigo. Por ter me visto chorar tantas vezes e ter enxugado as minhas lágrimas com a maior paciência do mundo. E porque, por mais triste que eu estivesse, você sempre me deixou rindo até as bochechas doerem.

Te odeio porque você diz que vai ligar e liga. Porque você aparece na hora marcada. Porque você deixa eu escolher o filme. E porque a comida sai sempre deliciosa quando eu cozinho para você.

Porque que a gente tem aquela química. Porque o beijo combina, o sexo combina, os gostos combinam. Porque você termina as minhas frases, porque a gente escreve a mesma coisa ao mesmo tempo.

Porque eu nunca vi ninguém ser tão encantadoramente bobo como você. Te odeio porque você escreve certo, é educado, se veste bem. Te odeio por ser o cara mais cheiroso do planeta, mesmo quando acorda no dia seguinte. Te odeio pelo teu olhar terno, pelo abraço quente e pelo sorriso sacana.

E te odeio Porque você foi o personagem dos meus melhores textos. E, sem você, eu perdi a inspiração e a paciência está no limite. Porque você aumentou a fasquia e fez com que gostar de outras pessoas fosse muito mais difícil. Sim, porque não bastava um inglês fluente, você arranha no italiano e quer aprender alemão. Agora me explica, como é que alguém pode bater isso?

Te odeio por você ser careca e eu sempre odiei carecas. Menos você. Quer dizer, eu odeio você. Te odeio porque você aparece quando eu preciso. E você sabe quando eu preciso. Conhece meu tom de voz, meu olhar, tudo de mim. Te odeio porque você me faz transparente.

Tá vendo? Eu tenho muitos motivos para detestar você. E cada vez que eu procuro uma razão a mais pra te odiar, caio sempre na mesma: eu te odeio porque eu te amo demais.

4 comentários:

Patrycia disse...

Nossa! "Jogue suas mãos para o seu e agradeça se acaso tiver alguém que você gostaria que estivesse sempre com você..." De quem são aqueles braços levantados ali?? Ah!! São da Ana!! rsrs

Queira Deus eu encontre algo parecido antes de morrer... kkkkkkkkkk

Todas essas qualidades e essa reciprocidade de sentimentos... Raro, viu?

Patrycia

MaxReinert disse...

Eita!!!
também quero ódio assimmmmmm!!!!!

greatdj disse...

tem vez que é um porre ser todo correto!
Ah não!
Todo mundo tem defeito e eu fico procurando o dos meus amigos, não por maldade, mas só por auto-proteção, já que se um dia a amizade acabar eu pelo menos posso dizer:
"Ahhh ele era metido"
kkkk


Odeio amar;

Larissa Bohnenberger disse...

Eita!!!
também quero ódio assimmmmmm!!!!! (2).