terça-feira, 2 de março de 2010

Com a bola em alta

Decidi acabar com a vida sedentária. É que eu parei o jiu-jitsu desde o ano passado quando fiquei sem emprego e não voltei por causa do horário. Todos os fins de semana juro para mim mesma que vou levantar e correr na praia. Como vocês devem calcular, eu fiz isso cerca de... uma vez. Não adianta. Praticar esporte sozinha não é para mim.

Aí surgiu uma oportunidade de voltar ao vôlei, uma vez por semana. E sendo o treino sempre às segundas, pode-se dizer que eu encontrei um motivo para deixar de sofrer de "sunday blues".

Eu já tinha começado a jogar volei no Brasil, quando tinha 12 anos. Na altura em que o vôlei masculino foi campeão olímpico. No tempo do Tande, do Giovanni e do Marcelo Negrão. Parei aos 14 anos quando vim para Portugal e desde aí que nunca mais tinha tocado numa bola de vôlei por mais de meia hora.

Estava morrendo de medo de não conseguir fazer nada, por estar enferrujada. Mas, tirando uns serviços que não saíram, podia ter sido bem pior. Pdia ter sido bem melhor também. Mas, realmente é como andar de bicicleta. Por isso para além das vantagens óbvias de praticar um esporte, o vôlei tem para mim um signicado especial. Tem esse gostinho de pré-adolescência.

Mas se vocês acham que eu melhorei, porque jiu-jitsu era muito violento e essas coisas... Dá só uma olhada no estado que o meu braço estava quando eu cheguei em casa ontem:

~

Também tenho feito caminhadas durante a hora do almoço. Mas aí a questão nem é tanto de saúde. É que entre almoçar com os novos colegas de trabalho e andar um quilômetro sozinha, a segunda opção é, de longe, bem mais aliciante.

E tenho lido. E como tenho lido. Terminei de ler "A Moça com Brinco de Pérola" que recomendo muito e agora comecei o "Deus das Pequenas Coisas", que começou bem franquinho mas acho que agora está tomando o embalo.

Isso tudo (e fica a dica para quem mora em Portugal) graças à colecção que a revista Sábado lançou, com livros de autores contemporâneos pelo módico preço de 1 Euro. Desse jeito não há desculpa para não ler!

3 comentários:

maricid disse...

fónix ... isso é que é sofrer xD
biju* e boa semana

Larissa Bohnenberger disse...

Ai, nem me fala em sedentarismo, que devo ter engordado umas 300 toneladas desde que eu saí da academia. Tô pensando em começar a fazer Muay Thai. Vamos ver o que acontece.

Como eu admiro pessoas que têm talento pros esportes coletivos. Eu, delicada e de gesto graciosos que sou, nunca fui boa nessas coisas. Vôlei, futebol, basquete... xiiii! Tanto que nas aulas de educação física, eu pedia pra professora para ficar caminhando em volta da quadra enquanto as outras alunas jogavam. No início ela protestava, mas depois acabou achando melhor mesmo, pro meu bem e para o bem de todos que se encontrassem por perto. O único jogo do qual eu gostava de participar era caçador. E ainda assim eu era uma das primeiras a sair. Rsrsrsrsrsrs!

Bjs!

P.S. Sabe que eu vi o fime Moça com Brinco de Pérola (lindíssimo, por sinal) e não tinha a mínima idéia de que se tratava da adaptação de um livro.

Nany disse...

Ei girl desejo melhoras pa ti; adorei seu blog linda bjooos...