sábado, 19 de janeiro de 2008

Jogos

Desde pequenos a gente aprende que os relacionamentos são jogos. Jogos de estratégia, para ser mais específica. Podem não acreditar, mas existe muito mais táctica envolvida num casamento do que em muito time de futebol.

E, muitas vezes, fazer uma relação funcionar pode ser bem mais trabalhoso do que planejar uma guerra. Sem contar que requer desculpas muito mais elaboradas (ou você acha mesmo que a gente acreditou nessa história de armas de destruição em massa, hein Georgie?!).

Porém, como todo bom jogo, o mais essencial é saber qual a modalidade que está em causa. Não se pode confundir uma corrida de cem metros com uma maratona. Não dá. São coisas distintas. É preciso uma preparação diferente e os níveis de exigência são totalmente opostos.

Claro que toda maratona é composta por vários trechos de cem metros. Mas a inversa não é verdadeira. Quem só se prepara para o sprint jamais consegue fazer os quarenta quilômetros que separam as cidades de Atenas e Maratona.

Você entende o que eu quero dizer não é? Não dá para jogar na mesma panela amor, paixão, tesão e amizade e esperar que no fim dê tudo certo. São coisas diferentes e o difícil nessa história é saber as fronteiras de cada tipo de relacionamento.

O mais importante mesmo é saber ver as diferenças, aprender a dançar conforme a música. Afinal, ninguém vai levar dominós num jogo de pôquer ou dados para uma partida de xadrez. E o mesmo serve para os relacionamentos. Assim como você não leva um baralho para jogar vôlei, não dá para apostar amor numa mesa em que o prêmio mais alto é um orgasmo e um beijo na testa.

Sim, sem dúvida que relacionamentos são jogos. As regras?! Essas cabem a você descobrir. Porque a gente vive aprendendo a jogar. E joga aprendendo a viver. Só não vale blefar.

9 comentários:

Diário do Ionescu disse...

uma boa coluna!
parabens!

Camila Passatuto disse...

Nossa então somos todos senhores e senhoras da guerra? rsrsrs

Muito boa a comparação "relacioanmento/corrida" as vezes vou com muito gás em corridas de 10 metros rsrsrs, to precisando de treinadores rsrsrs.

Bjos

Gugu disse...

Muito bom seu texto como também seu blog. Parabéns...

Johnny M. disse...

O teu texto hoje fala exatamente sobre algo que estou vivendo. Esse jogo é muito complicado e o pior é que as regras mudam a todo instante e quase sempre não tem vencedor. Muitas vezes todos saem perdendo. Estou dividido entre o afeto e o tesão. E agora, quem poderá me defender?..rs..
beijo

betinha... disse...

''não dá para apostar amor numa mesa em que o prêmio mais alto é um orgasmo e um beijo na testa.''

Arrasou na frase..
o blog ta lindo e o post.. nossa! Ta certíssima garota.
beiju!*

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

E comprar o juíz, vale?

Ótimo texto, parabéns. =D

J. Victor disse...

Texto bem embasado. Sim, essa guerra é onipresente :)

P. Florindo disse...

Acredito que as regras do jogo sejam diferentes para cada casal. Cada qual com suas intenções. Cada qual com suas regras.

Solitude disse...

uma vez eu blefei em um jogo de namoro... até hoje eu me arrependo =\

gostei das imagens no blog, assim como já gostava do blog em si :D