terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Sevilha: Fiesta, Flamenco y Tapas

Eu consegui a proeza de ir à Espanha e não conhecer nenhum espanhol. Conheci gente de vários lugares mas nenhum espanhol. Muitos americanos, duas sul coreanas, três argentinas completamente doidas, um australiano, duas alemãs, um brasileiro fazendo doutorado em Madrid, outro fazendo mestrado na Noruega, dois suíços, um grego tarado, um mexicano, um muçulmano canadense viajando com um americano japonês que morava na Austrália... Enfim, tinha um pouco de tudo!

Uma coisa engraçada que eu reparei é que os americanos têm uma característica muito particular. Se você perguntar a um alemão de onde ele vem, ele vai dizer que é da Alemanha. Se perguntar a um australiano, ele vai responder que é da Austrália, um brasileiro diz que é do Brasil. Mas se você perguntar a um americano, ele não vai dizer que é dos Estados Unidos. Ele vai dizer que é de Chicago, de Boston, da Califórnia, e aí por diante. Acho isso um pouquinho presunçoso. É como se o mundo todo tivesse que saber que Chicago fica nos EUA. Ah, a gente até sabe. Como sabe também que Paris fica na França e Roma na Itália, mas o lance é que eles acham que a gente tem obrigação de saber...

É claro que há diferenças culturais entre todos os povos, mas elas diminuem na proporção inversa ao teor de álcool no sangue.

Por falar em álcool, eu dei muito trabalho ao meu fígado. Ele teve que mostrar serviço... e não foi pouco! Sim, porque a uma certa altura eu ganhei poderes mediúnicos. Ainda tenho a cena gravada na memória. Estavamos muito bem na discoteca e caiu um copo no chão. Eu, encarnando mãe Diná, exclamei:
- Dudes, that glass is gonna fall!!!
- It has already fallen, girl!
- No! It’s gonna fall in a few seconds! Keep looking!
... ... ...
... ... ...
(Finalmente a trêbada olha novamente o copo no chão)

- See?! That glass is broken!
- Yes, it has fallen.
- Wow! I totally predicted it!

Sevilha é mágica, alere e contagiante. Não tem a nostagia de Genebra, nem o jeito cosmopolita de Madrid. E isso se reflecte nas pessoas que a visitam. Nada de boêmios, poetas e pseudo-intelectuais. Quem vai para Sevilla vai atrás de uma só coisa: Fiesta! E encontra.

Como é óbvio, a cidade tem monumentos e o “tour básico” inclui pelo menos a Catedral, a Giralda, o Alcazar e a Praça de Espanha (minha preferida). Mas a cidade toda é um monumento. Arquitectura árabe misturada com pátios tipicamente espanhóis transportam você para outro universo. É uma cidade cheia de vida, cores ruído e multidão. É gente por todos os lados. Difícil andar sem esbarrar em ninguém.

Mas mais difícil é não se apaixonar pela cidade.

15 comentários:

FALSA REALIDADE disse...

os ameriacanos são egocentricos, querem ser o centro das atenções e se acham superiores...
mas têm uma caracteristica admiravel e invejavel, sao nacionalistas e defendem as cores de suas bandeiras a qualquer custo....

te espero no meu blog...

www.falsarealidade.blogspot.com

Paty Tiemi disse...

Sinceramente os EUA não é um dos primeiros países em que quero conhecer, mas o que foi dito é verdade, eles são bastante patriotas.

Everaldo Ygor disse...

Olá!
Estive observando sua estrada, bela viagem... Portugal/Sevilha...
Muito legal... Também gosto de viajar só... Esse seu GPS é um Palm ou é possivel programar o GPS também?
Um dia vou para essas andanças...
Abraços
Everaldo Ygor
Visite:
http://outrasandancas.blogspot.com/

MH disse...

Sabe o que eu descobri, toda cidade é legal quando a gente ta bebado. Eu acabei de fazer uma viagem de navio (freak show total) e me diverti muiiiiiiiiito.
Mas ainda nao bebi a ponto de virar mão Diná
hahahahahahahaha

Mariana disse...

Que inveja boa da sua viagem... :)
E como a Paty, não faço questão de conhecer os Estados Unidos.

Lorena disse...

Eles são patriotas e pretensiosos u.u

e como vc conseguir ir a Espanha e não conhecer um espanholzinho se quer?
rsrsrsrs
que triste
mas que bom que a viagem foi boa
=*

Leandro Merlllin disse...

É, realmente. Apesar de todos os pesares acerca dos estudunidenses, em seus discursos inflamados e poses soberbas, eles possuem um nacionalismo impregnado em suas almas... Como se já viessem ao mundo com esse espírito de amor à sua bandeira.

Beijão!!!
Leandro Merlllin
http://olhardesaldejack.blogspot.com/

Louise Mira (Luly) disse...

É verdade!

Trabalhei como intéprete nas férias, e conheci americanos que, quando eu dizia: "Where are u from?" eles diziam sempre por estado (Mississipi, Kansas, Oregon...)

bjs!!!

Lizandra disse...

urrú!!
yeah!

An@Lu disse...

"urrú!!
yeah!"
???? Mas que raio de comentário é esse????

Everaldo, respondendo a sua ergunta, meu GPS é palm e dá para pré-programar alguns endereços como favoritos. E foi isso que eu fiz.
Caso vc esteja ineressado, o modelo é o Tom Tom One. Bem legalzinho e fácil de usar.

Marcelo disse...

americano eh escroto por natureza, e brasileiros viajando sao bebados por natureza hehehe

- Wow! I totally predicted it!

hahahaha

Henrique Mine disse...

cuida do com o figado em
xD
ahh
talvez vc nao conheceu nehum espenhol pq os ets abdusiram eles
(e dsculpa fala di ET, mais e qi eu sou fissurado por eles)

parabens


http://palhacadasaparte.blogspot.com/

Nana Lopes disse...

Um dia anda vou a Esoanha.Bjkas!!

Doug disse...

hehehh
eu tenho um primo da espanha
e pelo o que fala e um lugar lindo
=D
espero ki sua viagem tenha valido a pena

Nana disse...

Deve ser bem legal lá.
uahuaha não conheceu nenhum espanhol? que coisa louca!

Essa coisa dos americanos deve ser uma coisa cultural, talvez eles estejam tão acostumados em falar dessa maneira que acham que todos falam assim tbm.