quarta-feira, 25 de agosto de 2010

As vezes

Às vezes tudo o que eu quero é sentar perto de você, com a cabeça no teu colo. Às vezes vamos ter a música ligada, outras vezes não. Eu quero assistir a filmes ruins com você. E às vezes vamos rir juntos. Porém, na maioria das vezes nem vamos chegar ao fim do filme porque vamos nos perder na nossa própria história.

Eu quero planejar coisas com você. Às vezes coisas pequenas, às vezes não. E algumas coisas que podemos nem sequer chegar a fazer, mas apenas dividir os planos contigo já é suficiente. Eu quero conversar com você sobre o tudo e sobre o nada. Quero ter silêncios confortáveis às vezes.

Eu quero fazer palhaçadas e dizer piadas que nem sempre terão graça. Mas a gente vai rir do mesmo jeito. Às vezes só um sorriso, às vezes até a barriga doer.

Eu quero me apaixonar por você todos os dias. Talvez até chegue um dia que a gente não se aguente mais. Porém, até lá, eu quero você. Só você. Todas as vezes.

2 comentários:

Tati disse...

"Porém, até lá, eu quero você. Só você. Todas as vezes" é uma das melhores versões de "Que seja eterno enquanto dure" que já li.

Adorei!

Larissa Bohnenberger disse...

Tãnãnãnãnã... que lindo, que lindo! Ô mulher que sabe escrever declarações de amor, você, heim?

Bjs!