segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O rumo da prosa

Desde que eu aprendi a desenhar as primeiras letras, eu peguei logo o gosto pela escrita. Tenho dias inspirados, dias mais ou menos, e dias em que o texto pura e simplesmente não vem.

Isso não quer dizer que eu escreva bem, simplesmente quer dizer que eu me sinto bem escrevendo.

Vocês não têm ideia da quantidade de rascunhos inacabados que compõem esse blog. Eu já tentei escrever alguma poesia, mas acho que não é o meu forte. Eu sou mesmo uma mulher de prosa. Prosa lembra conversa, e eu acho que não faço mais que conversar com um interlocutor desconhecido.

Talvez tenha a ver com as minhas idas para Minas Gerais na infância, para o sítio da minha avó em São Lourenço. Lá todo mundo sentava na soleira da porta e dava "dois dedos de prosa" com o vizinho. Coisa gostosa de interior.

Aqui em Lisboa isso não existe. A única coisa que sei dos meus vizinhos do lado é que eles se chamam Sara e Paulo. Não, eu nunca perguntei-lhes o nome. Só que as paredes são finas e dá para ouvi-los bringando. Mesmo que eu não queira. Ele grita o nome dela e ela chora e grita o nome dele.

Gente, e como eles brigam... Pelo menos uma vez por semana a III Guerra Mundial se instaura no apartamento ao lado. Eu fico sem entender essa gente que briga o tempo todo mas continua junto. E não, nem acredito que seja o sexo de reconciliação, porque isso eu não ouço! Talvez eles sejam do tipo silêncioso. Ela geme baixinho e ele encolhe os dedinhos do pé como única demonstração que está gostando. Ok, vou parar de especular sobre a vida sexual dos meus vizinhos.

Bom, mas quem sou eu para falar de casais que brigam e não se separam. Afinal, o meu último relacionamento acabou porque a gente já nem brigava mais. É, mas eu não quero falar disso agora. Aliás, eu já nem sei sobre o que eu estava escrevendo. Nos últimos quatro parágrafos eu falei sobre tudo. E tudo o que eu falei não é nada daqilo que eu tinha pensado em escrever hoje.

Deve ser por isso que eu gosto de prosa. A gente nunca sabe o rumo que ela vai tomar.

5 comentários:

outrocantinhomari disse...

... e como nós adoramos as suas prosas ;)
bijinho*

Ricardo disse...

Linda Prosa !!! Não em relação a vizinhos estou começando quee normal por que os meus vizinhos de cima brigam todo o fim de semana iniciando na sexta a noite !!!!
E por coincidência, também, nada escuto relativo a vida sexual deles. Alias, somente uma vez. Mas durou menos de 5 minutos. Será que brigam por causa disso ? hehehe

Larissa Bohnenberger disse...

O meu negócio também é a prosa!
É como se ao tocar os dedos no teclado estivessemos conversando com um amigo! E acho que é isso aí mesmo!
Bjs!

By Mari Molina disse...

Prometo que "depoisss" teremos dois dedinhos de prosa está bem?! Te contacto pelo msn.
Beijos

Dedinhos Nervosos disse...

Adorei este post. Eu tb tenho muitos textos inacabados e outros acabados, mas não postados. Às vezes escrevo só pra mim porque fica mais fácil entender as coisas assim, no papel (ou no word). Com relação a poesia, eu queria tanto conseguir escrever! Sou péssima e raramente sai algo q preste. Como vc, tb gosto de prosa. 10 dedinhos de prosa rsrs
Beijos!