quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Afinal eu sou careta

Eu sempre me achei uma pessoa moderna e descolada, no melhor estilo “open minded” que pode haver. Até hoje. Descobri que, afinal, sou careta. Passo a explicar. Tenho uma amiga que vai fazer uma tatuagem. Eu, que já tenho duas e queria fazer mais uma, pedi o cartãozinho do tatuador dela para ir lá dar uma olhada. A minha amiga, muito simpática, trouxe o tal cartão para mim.

Não me contive. Arregalei os olhos e soltei um: “mas isso é um tatuador ou um carrasco?”. Ela olhou surpreendida para mim sem entender bem o porquê da minha exclamação e eu continuei.

- Você já viu bem os serviços que ele presta?
- Não... Só fui lá pela tatuagem mesmo.
- Então olha bem!

E começamos as duas a analisar o cartãzinho do tatuador.

- Tatuagens: Ok, o básico.
- Cover Ups: Imagino que seja daquelas tatuagens para encobrir outras. Utilizada normalmente quando você quer disfarçar o nome do seu ex-“mais que tudo”. Normalíssimo.
- Piercings: Também usual nos dias de hoje.

A partir daqui começa o circo de aberrações:
- Transdermal: Que raios é isso? Dermal vem de “derme”, que quer dizer pele. Alguma coisa através da pele?! Hummm...
- Scarification: Scar = cicatriz. Mas, como assim?! Ele faz cicatrizes?! Você chega lá e pede uma cicatriz?! Já tou imaginando entrar na loja e pedir ao tatuador para fazer uma cicatriz no joelho. Assim para fingir que caí de skate e sou muito radical...
- Branding: “Brand” acho que quer dizer marca. Essa também é estranha. Você tatua uma marca de alguma coisa? Tipo “coca-cola”, ou “Nike – just do it”? Não entendi...

E agora fica mesmo hard core:
- Pocketing: Tanto quanto eu sei “pocket” quer dizer bolso. ... ... ... Mas... Eles fazem um bolso em você? Na tua pele? Assim, do tipo para guardar moedinhas?
- Stapling: Staple é “grampo”. Você chega lá para ser grampeado??!! Eu tenho grampeador aqui em casa, aposto que sai mais barato. Faço até promoção! Uma vez eu grampeei o dedo sem querer. Será que conta como experiência profissional?
- Scalpelled: Não faço a minima ideia do que raios seja isso. Lembra-me os índios americanos que tiravam o escalpe. Se bem que eu nunca soube o que era um escalpe... Mas imagino que não seja bom porque eles faziam isso aos inimigos e guardavam como troféu.
- Big Nostrils: Fui ao dicionário e descobri que “nostrils” quer dizer narinas. Narinas grandes?! Tem gente que já nasce com isso... Será que tem malucos que nascem com um nariz delicado e pouco másculo e querem aumentar as narinas? Esquisito...
- Surface Bar Piercing: Não consigo conceber o que isso seja. Alguma espécie de piercing talvez? Bom, mas vendo pelo nível do resto não deve ser coisa boa...

Mas o mais macabro de todos foi:
- Blood Play: Gente, o que é isso?? Fui na internet e só encontrei coisas sinistras... Até fiquei assustada! Já fiquei imaginando grandes rituais vudu. Credo!

Nem pensar que eu vou lá fazer uma tatuagem inocente de florzinha!!! Tá doido!!!

Depois desta incursão pelo mundo satânico das artes corporais me senti a própria avózinha. Aquela que o neto chega em casa e diz assim:
- Vó, olha o meu surface bar piercing!!!
- O teu quê Juninho??
- Ô vó, não é Juninho. É Jota-Mau.
- Cruzes!!! Isso é coisa do demo! Vai já tirar isso! No meu tempo gente desocupada assim escrevia em blogs em vez de se furar todo!

9 comentários:

Bernardo Lima disse...

hahaha
acabou de me mostrar o quanto sou careta...
hahaha
bjão!

Danielll2 disse...

Scar = cicatriz. Mas, como assim?! Ele faz cicatrizes?! Você chega lá e pede uma cicatriz?! Já tou imaginando entrar na loja e pedir ao tatuador para fazer uma cicatriz no joelho. Assim para fingir que caí de skate e sou muito radical...


huauhauhsuhahus gostei...

mas não gosto de garotas de tatuagens.. acho feio!!

Abração!!
visite-me

www.danielll2.blogspot.com

punks76 disse...

gente, gente e mais gente... esqueci de mencionar ontem que tem gente pra tudo nesse mundo.

sabe q seu texto de hj vai me ajudar muito numa postagem q já venho ensaiando a algum tempo, justamente sobre esse "circo de pequenos horrores". eu só precisava saber o nome destes "entalhes" cutâneos. agora já sei alguns. rsrsr...

alguns scarification's são feitos no método pyre, com fogo e maçarico mesmo.

oh baby, c'mon, larga de ser careta, rsrs... vamos encarar?

Som disse...

Acho que sou mais careta ainda que você. hehehe

abraço!
http://somdosom.blogspot.com/

Coelho Carnívoro disse...

hahahaha... mto bom!
nao conhecia o blog, mas se forem sempre textos desse nível... maravilhoso!

eu sempre me considerei careta... mas agora tb estou me sentindo antiquado =x

Ricardo Moreira disse...

Não tinha ouvido falar sobre blood play, é tô ficando velho!!!

Leon K. nunes disse...

Somos dois novos-caretas.

É tardia, porém parece ser inevitável para todos a constatação de que num dado momento teremos, invariavelmente, que passarmos para o outro lado... seremos então os "conservadores".

Esperamos que a próxima geração sobreviva a esta tão confusa quanto a nossa.

César Fernández disse...

ler esse post me deu uns calafrios :S
´pois éé, também devo ser careta! O_O

Comentarista Abalizado disse...

Todas essas práticas bizarras são preferência, geralmente, de bacanas que nunca terão que procurar um emprego.

Quem, no mundo das profissões normais, vai empregar um sujeito que tem uma enorme argola no nariz, cicatrizes esquisitas por todo o corpo, tatuagem na cara, etc?

Se eles se acham radicais e que sofrem muito por causa suas práticas terríveis de dor... pois que experimentem trabalhar 8 horas diárias por 35 anos seguidos. Aí, sim, veremos quem é o "malvadão"!