segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Infinito enquanto durou

Caríssimos, peço desculpas, mas eu tinha que postar esse texto. Meio deprê, mas estou me sentindo assim.

Eu acho que às vezes poderia me definir por poesias.

Eu acredito, tal como Drummond, que amor é estado de graça e com amor não se paga. E sou capaz de dizer simplesmente que eu te amo porque te amo. E não consigo conceber outro tipo de amor que não seja de graça. Foi Drummond que me ensinou a amar assim.

Tal como Quintana, só peço que por favor, não me analise. Meu amor é por inteiro, não pode ser visto num microscópio. Não dá para dissecar. Eu só quero alguém que me envolva todo em seus braços. E eu serei o perfeito amor.

E, contrariando Jonh Lennon, acredito que o sonho acabou. Pelo menos o meu. Vinícius é que sabe. Pois nunca pode ser imortal, posto que é chama. E eu vivi o meu momento de infinito enquanto dure.

Durou pouco, e foi infinito, intenso, eterno. Mas, como chama, apagou. Um balde de água fria. Um autêntico toque de recolher.

Cortei minhas asas, voltei a pôr os pés bem firmes no chão. De onde nunca deviam ter saído. Tirei as lentes cor de rosa e o passarinho verde fugiu. Acabaram os suspiros e os olhares perdidos. A paixão subiu no telhado. Agora não tenho tempo para isso. Estou ocupada. Tenho que juntar os caquinhos do meu coração partido.

Eu errei. Amei sem pedir nada em troca. Sem querer casar, sem querer morar junto, sem pensar nos nomes dos filhos. Amei agora, amei ontem. Amei amando, sendo feliz um dia após o outro. Sem cobrança, sem ciúme. Só assim... Achei que era certo. Afinal não era.

Ele disse que não queria me amar. Eu aceitei. Não devia ter feito isso. Devia ter exigido um pacto de sangue que nos unisse pela eternidade. Mas... não achei necessário. Quis consolidar o sentimento aos poucos. Quis construir, em vez de apresentar um projecto terminado. A verdade é que eu só consigo viver hoje.

Até o Herbert Vianna entendeu que o meu erro foi crer que estar ao seu lado bastaria. Não bastou.

Eu quis transformar o amor num verbo: Eu amo, tu amas, nós amamos. Ele preferiu uma equação. Eu nunca cheguei a descobrir o "X" da questão. Eu nunca fui boa em matemática mesmo...

Agora... E agora José?


Ah gente... Quero colo... Tragam-me um balde de sorvete de chocolate e comédias românticas. É urgente!

15 comentários:

punks76 disse...

moça, de onde vc tira esse esplendor de prosa q vc coloca nessas linhas? pode acreditar, vc não errou por amar apenas pq amava. tbm cometi esse acerto e errou quem quis q fosse diferente, quem quis complicar o q era demasiadamente simples.

e tolo de quem pronunciou "faça-se a luz!" e não percebeu q a luz já estava presente. pois só com iluminação pra dissecar da forma como vc faz, assuntos q outros muitas vezes levam anos pra entender.

tenha uma ótima semana.

MaxReinert disse...

eita...... quem dera todos os amores que terminam resultassem em textos como esse seu!!!

Muito bom, o texto.
Muito ruim, ter terminado.

Logo, logo, encontramos outro à frente.... pelo menos, eu quero acreditar nisso!

DuDu disse...

Tudo que começa tem q acabar?


eu nao gostei de ler seu post. bom ele esta bem legal, muito bem feito. mas eh q presinto q meu namoro tahh indo por ai...

=/


sem mais!

abrass

Otávio B. disse...

Se todo amor seu resultar em um texto tão bom quanto esse, então vc realmente teve amores e mais amores hein!!!
Eu dei uma permeada em seu canto, e realmente me surpreendi, em especial com esse teu último texto... Muito bom

Gostei muito de seu espaço

beijos, and...

muito obrigado, vamos almoçar

Descharth disse...

Brincadeira heim... Um resumo do melhor que já foi dito, escrito com maestria e sentimentos... ganhei meu dia conhecendo o seu blog e a sua arte de se fazer sentir.

Moniquinha disse...

Parabéns, gostei do texto...nada deprê, totalmente arte!

*Eva* disse...

Quando comecei a ler achei grande demais e quando terminei vi que o ele tem de grande tem de belo!
Parabéns pelo Blog!

Mila disse...

oi! vc screve muito bem! parabéns!!

obrigada pelo elogio ao meu blog!!

a frase do cabeçalho q vc disse q gostou é da letra de uma musica do travis, MORE THAN US (que é o nome do meu blog.

bjss

Bernardo Lima disse...

não vim fazer comentários maldosos...
rsrsr
enfim...
se está depre espero q melhore!!!
bom texto!

:)

bj!

Lord Sarubiano disse...

Um apanhado excelente de grandes versos. Amor, amor, esse sentimento tira qualquer um do sério. Faz a gente cometer loucuras e agir impensadamente. O importante é não nos fecharmos a ele. Um vai, outro vem. E agiremos loucamente novamente.

Lila Rose disse...

Nossa, desculpe ignorar o teu estado depressivo, mas eu amei o texto: muito criativo.

Ali�s, os mais belos sambas e poesias nasceram do sofrimento, n�o � verdade?

Melhoras pra ti.

Bisous!

Duas disse...

Ei, ana.
Obrigada pelo comentário lá no redatoras.
E por falar em comentário, achei seu texto deprê uma graça:)
beijo, val.

Leon K. nunes disse...

Escrever textos "depressivos" num momento em que estamos bem é da maior sinceridade que existe.

Enfim, 'tás muito além de personagens de histórias de amor sem final feliz... há muitas páginas a serem viradas, creia.. ao menos, percebeste teus pretensos erros. É uma percepção que falta à maioria na sua ebriedade após um relacionamento.

De qualquer forma... apoio a idéia do sorvete e das comédias românticas.. toda depressão merece um intervalo!

Luciana disse...

MToooo lindo!!Adorei, to aqui a hooooras procurando esse texto, que ja tinha lido uma vez no seu blog mas me bateu aquela vontade de ler novamente!!

Parabens!
Um beijão
Luciana

Luciana disse...

Mtoooo lindo esse seu texto, ameeei!!

Um beijão, Luciana