segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Trevas

O dia virou noite, mas hoje a noite não virou dia.
Hoje não fez sol, mas eu aprendi a brincar com as trevas.
Depois choveu, e eu tive que saber rolar na lama.
Todos se foram, e eu fui forçada a encarar a solidão e o silêncio.
E até nevou, por isso costurei meu prório casaco.
Na guerra eu fabriquei as minhas armas.
Curei minhas feridas, segui na frente de batalha.
E veio a miséria, a praga e a doença.
Eu superei, sobrevivi, ultrapassei.
Nem a fome me incomodou porque eu me alimentei de mim mesma.
Eu só chorei uma vez.
Foi quando você partiu...
...meu coração.



Ouvindo "Release" dos Pearl Jam

10 comentários:

rodrigocherene disse...

Sobretudo que se deve guardar, guarde o teu coração pois é dele que procede a saídas da vida

paz

reflexões disse...

muito bom o texto!!! vc estád e parabéns, sensível e bonito....

Raoni Frizzo disse...

Excelente o texto!
Muito bonito e bem escrito tamb�m!
Parab�ns pelo teu blog! T� muito j�ia!

Antonoly disse...

Apreciei muito o seu blog, bem escrito e com excelente conteúdo!
beijos!
www.ooohay.wordpress.com

César Fernández disse...

esse texto me deu calafrios O_O

aloneinthedark disse...

gostei do blog, está bem poético xD
=**

Zanfa disse...

Bom, bom o texto!

Meio auto-ajuda, meio dark... xD

Gostei da foto no cabeçalho tbm. =p

http://capinaremos.blogspot.com/

Heitor disse...

Belo texto!
Foi você mesma quem escreveu?

Lucas Conrado disse...

gostei do texto...
é triste quando a gente perde alguém...
sei bem o que é isso.
parabéns pelo texto

Samilla Fonseca disse...

putz
tu quem escreveu o texto!?
se foi, parabéns! =)