segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Vamos lá falar de coisas sérias

Me vi muito frustrada quando todos os blogs que eu lia falavam de um filme ao qual eu era completamente alheia. Isso de morar no fim do mundo tem as suas desvantagens. Pois bem, eis que 700Mb entraram no meu computador e me trouxeram de volta ao mundo civilizado. É gente, eu também vi o “Tropa de Elite”. Num fim de semana vi duas vezes.

O filme é complexo e eu não quis deixar de dar aqui a minha opinião. Em primeiro lugar acho que qualquer análise a este filme tem que ser bi-partida. O filme enquanto filme e o filme enquanto crítica social.

Enquanto filme é excelente. Me surpreendeu muito pela positiva. Depois do (simplesmente maravilhoso) “Cidade de Deus” eu estava a espera de um filme assim escuro, sangrento, violento e chocante. Mas não. E não adianta dizer que o filme é violento. Não é nada que a gente não esteja acostumado a ver nos enlatados americanos que fazem propaganda nacionalista. O filme é óptimo, as interpretações estão maravilhosas e a narração em voz-off faz as cenas fluírem muito melhor. Nesse ponto não tenho qualquer crítica.

Onde as questões se levantam mesmo é relativamente à crítica social. Sem dúvida o filme incomoda. Pela primeira vez se aponta o dedo às classes média e alta responsabilizando-os pelo tráfico de droga. E mais: o filme mostra que o BOPE mata. Assim, sem eufemismo e sem meias palavras. O BOPE mata, pronto! E é treinado para matar. E que, infelizmente, o Rio de Janeiro está em guerra. Mas é uma guerra estranha. Porque ninguém consegue dizer quem são os mocinhos e quem são os bandidos. Não existe preto e branco, só cinza. Sinceramente acho que é uma guerra sem mocinhos. E, pelo menos por enquanto, sem final feliz à vista.

Será essa a solução para acabar com o tráfico e a violência? Não! Este Esta é uma solução tipo “esparadrapo”. Você estanca o sangue e espera que a ferida cure sozinha. Uma tentativa tosca de reolver os problemas. Mas, neste caso, o buraco é mais embaixo. A ferida não vai sarar assim. O esparadrapo vai ficar velho, vai cair e a ferida vai continuar sangrando.

A solução passa pela prevenção, não pela punição. Passa pela educação das crianças, pela criação de emprego, pela melhor distribuição da riqueza, pela melhor prestação de serviços públicos, enfim por um melhor Brasil. Será que a gente consegue?

15 comentários:

Mylene Ribeiro disse...

É realmente Ana nessa guerra q estamos vivendo não dá para diferenciar quem é mocinho d quem é bandido ! :(

Infelizmente não sabemos qndo ela vai acabar, e muito menos quem será a próxima vítima !

Estamos nos afundando cada vez mais . Está na hora d rever nossos hábitos e conceitos, e tentar detectar onde q financiamos a violência !

Tb vi Tropa de Elite e me amei o filme, muito bom, ainda mais com a voz do Wagner Moura, ele é Tudo d bom !

Bjos

michelle disse...

é tb vi tropa de elite, e quem n viu parece um alien ne? todos so falam nele! eu imagino alguma criança olhando aquele filme, puro palavrao..
qnto ao tema do filme mesmo..
é a realidade!!!
mas gostei do filme, tirando umas partes q eh para ser critica e se tornam engraçadas haham sera q so eu ri? haha bjss

Capixaba disse...

Eu tambem fico meio perdico com filmes que nao vi e discos que nao ouvi.
Porem a gente aprende de varias outras formas, se consegue cultura em qualquer lugar.
Mesmo se eu não tivesse visto tropa de elite, eu ja vi essas senas acontecendo, ja vi isso tudo em noticias de Tv e até pessoalmente
Dai sim que se tira cultura, do dia a dia, dos bate papos.
Parabens pela critica

slim shady disse...

É amigo,mas sinto em diser,o que mostra no filme,não é nem a metade do que realmente,infelizmente.Talvez depois do filme,Essa pessoas de classes medias brem os olhos,e com um pouco de compaixão que lhe resta,vê o mal que Eles causam sem "saber".

Gostei daqui =)

abração !

polly disse...

eu gostei muito do filme...e adorei a critica a classe media e alta...concordo plenamente que são os culpados!
Em relação a conseguir um Brasil melhor...acho que enquanto a gente insistir em colocar no poder, politicos que não se interessam em nada, alem do seu próprio bolso...esse Brasil melhor não vai acontecer...mas... existe outro tipo de politico?? uahuahua
t+

JulianaGomes disse...

Nossa, você falou tudoo!! Minha opinião é igual a sua!! destesto ve esse pessoal falando que acha que o BOPE é a solução pra todos os problemas.. não é, e nunca vai ser! A solução começa pela educação!! Bom Blog! parabéns! x)

bjo

Autos Wallpaper disse...

Eu assisti o filme e gostei mostra infelizmente a realidade brasileira... :/

Tenha uma ótima segunda,
Beijos!

http://autoswallpaper.blogspot.com

O Enxadrista disse...

O melhor mesmo do Tropa de Elite é dizer quem são mesmo os responsáveis pelo tráfico: os usuários (sejam eles ricos ou pobres).

Gostei do filme pela realidade.

Abraço.

ÍCARO GIBRAN disse...

Ainda não assiti o filme. Vou assitir no cinema. Então, é um problema que volta e meia volta à tona, mas até hoje nada se fez para que mudasse. A cada "cidade de Deus", "Tropa de elite", a discussão vai tomar conta da sociedade, que em muito breve estará ocupada discutindo outros assuntos. Sabe-se, contud, que são soluções que devem ser tomadas a longo prazo, então o que o governo espera? O tempo de mudar é agora, e ainda que a mudança não seja imediata, tem que se plantar para colher os frutos. Caso isto não acontça, os nosso frutos irão perecer. O futuro da nação depende dos investimentos de hoje em educação, saúde, reformas sociais competentes.
Existe uma tropa que não é de elite, mas é de cidadania, e tem uma poderosa arma nas mãos: o voto. Você se reconhece no papel deste soldado?

Dopsz disse...

Orra confesso que esse é um dos melhores comentários que já li sobre esse filme.

vlw

Mec disse...

muito bom o comentario sobre o filme...
imparcial, desta forma que tem de ser... sei lah, minha visão, é que temos que "escancarar essas coisas" na cara "deles"

vlw

http://clicko.blogspot.com

Antonoly disse...

Vou resumir o meu comentário: O filme é bom demais!!!!!

www.ooohay.wordpress.com

Thaysa disse...

Concordo com vc. Tenho acompanhado as noticias e textos em blog´s a respeito desse filme e to achando as visões muito unilaterais a respeito do assunto: VIOLÊNCIA.
As soluções apontadas por vc fazem parte do que eu acredito tbm.
Bjs

Jonathan disse...

vim agradecer o comentário no meu blog.
Obrigado mesmo.
A nossa sociedade tá meio bizarra mesmo. Esse filme mostra isso.
Aliás tem até ligação com o poema Devaneios.
"Hitler era humano. Eu posso ser um Hitler". A duas frases tem extrema conexão. Há uma espécie de demonização desse ser humano chamado Hitler. Acho que no fundo isso não é bom, pois, de alguma forma afasta a reflexão de que existe em cada um de nós essa parcela homicida, genocida, etc.

é isso menina!

Jonathan disse...

vim agradecer o comentário no meu blog.
Obrigado mesmo.
A nossa sociedade tá meio bizarra mesmo. Esse filme mostra isso.
Aliás tem até ligação com o poema Devaneios.
"Hitler era humano. Eu posso ser um Hitler". A duas frases tem extrema conexão. Há uma espécie de demonização desse ser humano chamado Hitler. Acho que no fundo isso não é bom, pois, de alguma forma afasta a reflexão de que existe em cada um de nós essa parcela homicida, genocida, etc.

é isso menina!