domingo, 17 de fevereiro de 2008

Inês

Abriu os olhos devagar. Primeiro o esquerdo, depois o direito. Voltou a fechá-los. Espreguiçou-se. Levou as mãos à testa numa tentativa tosca de aplacar a dor de cabeça aguda. "Nunca mais tomo vodca...", pensou.

Sentiu um movimento. Não vinha do seu corpo. Esperou um pouco. Abriu os olhos. Passou a mão pelo cobertor. Aquele não era o seu cobertor. Passou a mão pela roupa. Constatou que não havia roupa. Respirou fundo e olhou para o lado. Havia outro ser ali. Quer dizer, na verdade o outro ser era ela. Afinal, aquela não era a sua casa.

Olhou em volta da cama. Pela distância que as peças de roupa tinham umas das outras, concluiu que a noite fora deveras divertida. Resolveu espreitar melhor a criatura com quem dividia momentaneamente os dois metros de cama. Era um amigo dos tempos de colégio, e que agora se apresentava como um completo desconhecido.

Ele dormia profundamente. E ela ficou na dúvida. Não queria sair sem dizer nada, mas não sabia o que dizer se o acordasse. Permaneceu na cama, fechou os olhos e decidiu que iria esperar que ele acordasse. Ele saberia o que fazer.

Bocejou ainda de olhos fechados. Passou a mão pela mesa de cabeceira em busca do celular para ver as horas. "Beleza, ainda dá tempo de ir para o futebol!". Sentia um certo enjôo. Ressaca, claro! Mas nada que um belo copo d'água não resolvesse.

Afastou o cobertor e se deu conta de outro corpo na cama. Meu Deus, como pudera esquecer que ela estava ali?! Aquela menina que ele conhecia desde os seus dezesseis anos, mas que era uma mulher estranha nesse momento. E agora? Deveria acordá-la? Mexeu-se um pouco na cama para ver se lhe despertava a atenção. Nada. Voltou a fechar os olhos. Ia perder o futebol, mas que se dane. As mulheres são melhores nessas coisas. Ela saberia o que fazer.

Ficou mais 20 minutos de olhos fechados. E ele nem se mexia. Esgueirou-se da cama para ir ao banheiro. E, quando estava de pé, à procura da roupa interior ele acordou. Cheia de pudor ela tapou-se.

- Bom dia...
- Bom dia, te acordei?
- Não. Eu tinha que levantar. Afinal, domingo...
- ... é dia de futebol na praia.
- Já há dez anos que é assim.
- Eu sei. E eu também tinha que ir mesmo.
- Tá.
- Posso usar o banheiro?
- Claro, à vontade.

Era difícil dizer qual dos dois estava mais sem graça. Na noite anterior tinham estado em ângulos impossíveis, dignos de contorcionistas. Agora, faziam malabarismo para não se olharem nos olhos.

Definitivamente tinham estado envolvidos num ménage a quatro. Afinal, duas pessoas tinham dormido juntas. E outras duas completamente diferentes acordaram na mesma cama.

16 comentários:

Nanda Kiedis Declama disse...

0o
Que text interessante.

Bjs

Kemp disse...

Seus textos sempre lembram roteiros.
O final foi muito engraçado! Tudo muito detalhista!
Adorei!

Niseloka disse...

oi gostei do seu canto.gostei dos post sobre sua viagem.

Johnny M. disse...

Já passei por uma situação quase idêntica a essa, a única diferença é que não éramos amigos de colégio. Mas a sensação foi muito parecida, e eu era o corpo estranho no apartamento dela. O engraçado é ficar procurando coisas não comprometedoras pra dizer.

Marco disse...

gostei do blog, é atualizado com freqüência.

voltarei. (:

um paraíso perdido

Salvador Lucas­ disse...

\o/
que confusão, pelo menos eles se conheciam =D

Osmar Mesquita disse...

muito bom o texto...como ja comentaram tb ja passei por isso e foi com amigo de colegio hehe...
foi ruim a sensação mais...
rsrs otimo blog ana parabens


http://bombadigital.blogspot.com/

Bruna Battirola disse...

adorei esse texto... bem criativo

Larissa Bohnenberger disse...

O Ministério da Saúde adverte: beber demais pode causar constrangimentos incríveis... no dia seguinte!
Eheheheh! Adorei!
Beijos!

Simone, disse...

hum...já passei por isso, é horrivel..rsrs....
qts malabaris fiz..rsrs

Simone, disse...

otima postagem.!

Princess Sah disse...

=]
goxtei mt do texto
=P
bjuuu

squirrel disse...

nossa adorei essa cronica,você explica detalhe,por detalhe,isso é legal em um texto


beijocas

Lica disse...

Verdade,
acontece na vida de muitas pessoas ,
ainda não sofri isso , mas tudo tem seu tempo,

bjokas

Aventureiro X disse...

pô muito fera!

nunca tinha pensado nisso... fazer sexo bêbado= menage a quatro... hauahauahauahua

conquistou um leitor só com essa frase...


Grande abraço!

Anónimo disse...

Oi Ana, sempre tenho dificuldades em postar os meus comentários no seu blog, o que é uma pena,pq eu adorooo ler o que vc escreve!rsrs

Um beijão
Lu