quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A tal "mulher moderna"

Por causa de tanta luta, feminismo e por causa do ideal de mulher moderna, acho que se tornou difícil para algumas mulheres aceitarem pequenos gestos e delicadezas masculinas sem se sentirem ofendidas no âmago da sua independência.

E toda mulher enche o peito para dizer que é uma mulher descolada, independente, inteligente e... Moderna! É verdade que no passado as mulheres eram criadas para serem esposas devotas e mães extremosas. Tinha que ser desse jeito. Mas nós, seres com dois cromossomos X, nos libertamos deste estigma e passamos a poder querer outras coisas. Deixamos de ser donas-de-casa para sermos donas do nosso nariz. Podemos pilotar aeronaves, podemos ter sexo casual, podemos não estar nem aí se o cara não ligar no dia seguinte, podemos botar a carreira à frente dos filhos. Nada nos impede. Podemos um montão de coisas que foram negadas às gerações anteriores.

Mas o grande lance é entender que isso é uma opção. Porque hoje em dia parece que é o contrário. Não acredita? Experimenta dizer para uma dessas “mulheres modernas” que você decidiu largar o emprego e ficar em casa cuidando dos filhos e do maridão. Mas, depois de dizer isso, lembre-se de fugir a sete pés. Porque se ela te apanha, é bem capaz de te botar na fogueira para ser queimada como bruxa da nova era.

Eu, da minha parte, continuo achando o cavalheirismo o máximo. Não me sinto privada no meu direito de ir e vir se o cara resolve abrir a porta do carro para mim. E nem me comporto como um ser inferior quando, no restaurante, o garçon traz a conta e o cara puxa o talão para ele sem nem sequer deixar eu ver quanto é que foi. Eu sou bem resolvida o suficiente para fazer um jantarzinho especial para o maridão sem me sentir escrava do lar. Afinal, botar aquele temperinho gostoso ou dobrar a roupa como vovó ensinou não é ser retrógrada nem ser menos que ninguém. É ter carinho e cuidado com quem se gosta.

E carinho e cuidado são atemporais. Nunca saem de moda. Nem para mulher, nem para o homem.

É meninas, o grande mal dessa mulher moderna, foi que ela se modernizou tanto que acabou virando homem. Qualquer dia vai acabar virando travesti.

17 comentários:

blog disse...

Concordância plena.
Talvez falte a essas pseudofeministas a generosidade em aceitar que o homem seja amável, dedicado e gentil sem que passe pela cabeça delas que a cama é o destino final.
É isso, menina.
Maturidade é isso.

Hericson Duarte disse...

uhm, belos posts

depois passa lá

http://hdclub.blogspot.com

Lucas Conrado disse...

gostei da sua última frase.

Eu acho o seguinte, acima de qualquer ideal defendido por um grupo, fica os princípios de um indivíduo. Se a mulher quer ser casada, solteira, dona de casa ou trabalhar fora, fica a critério dela! Não tem nada que ficar seguindo a cabeça dos outros não!

Obrigado pelo comentário e fique a vontade para visitar mais vezes o Meus Pensamentos
http://lucasconrado.blogspot.com/

bjs

Zanfa disse...

Muito bom, como sempre Ana!

Realmente algumas mulheres modernas chegam a passar do limite em algumas ocasiões... Bom saber que ainda existem algumas que gostam do cavalheirismo e romântismo.

Acho que no fundo todas gostam, só que algumas temem a fogueira da nova era, e não deixam isso transparecer, né? xD

Daniel disse...

Bah, é isso mesmo, Ana! Que bom que percebes o perigo de ceder ao "sou mais macho que muito homem". Não, não, sejam fêmeas, por favor! Favor a mim, mas principalmente, a vocês.

Maay ** disse...

Os seres humanos estão passando por transformações com o passar do tempo...

Creio que hoje as mulheres são assim devido a essa transformação constante em que nos encontramos...

Hoje sabemos que podemos quase tudo que a gente quer, então de que adianta insistir para que as mulheres sejam como antigamente?

não adianta... algumas gostam de ser livres, independentes, outras não... é questão de opnião... cada uma é o que que e gosta de ser, e eu não tenho nada a ver com a vida de nenhuma delas...

não acho que essa questão deveria ser questionada...

o tempo passou, os homens também não são mais como antigamente...

será que esse não seria + um motivo pelo qual as mulheres mudaram tanto?





ainda tratando da mudança... compare duas música... uma de 1941 e outra de 2004...

Ai Que Saudade Da Amélia
Gabriel Pensador

Composição: Mário Lago / Ataulfo Alves

Nunca vi fazer tanta exigência
Nem fazer o que você me faz
Você não sabe o que é consciência
Nem vê que eu sou um pobre rapaz

Você só pensa em luxo e riqueza
Tudo o que você vê você quer
Ai meu Deus que saudade da Amélia
Aquilo sim é que era mulher

Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
E quando me via contrariado
Dizia meu filho o que se há de fazer

Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade
Amélia não tinha a menor vaidade


a outra é uma música com a qual me identifico muito... o nome da música é dandara...

Dandara
Ivan Lins

Composição: Ivan Lins / Francisco Bosco

Ela tem nome de mulher guerreira
E se veste de um jeito que só ela
Ela vive entre o aqui e o alheio
As meninas não gostam muito dela

Ela tem um tribal no tornozelo
E na nuca adormece uma serpente
O que faz ela quase um segredo
Tão serena assim, tão transparente

Ela é livre e ser livre a faz brilhar
Ela é filha da terra,céu e mar
Dandara

Ela faz mechas claras no cabelo
E caminha na areia pelo raso
Eu procuro saber os seus roteiros
Pra fingir que a encontro por acaso

Ela fala num celular vermelho
Com amigos e com seu namorado
Ela tem perto dela o mundo inteiro
E à volta outro mundo, admirado

Ela é livre e ser livre a faz brilhar
Ela é filha da terra,céu e mar
Dandara

Dandara...
************


a diferença entre as duas mulheres é enorme...

mas... vc gostaria de ser como qual das duas??

Johnny M. disse...

Penso igual a você. Eu também não me importo se a mulher tira o talão de cheque e paga a conta do restaurante, se ela abre a porta para que eu entre no carro, de fazer um jantar romântico para ela.

Fê! disse...

100% de prejuízo
perdemos os homens cavalheiros(irritados por tentar agradar quem não quer ser agradado) e perdemos nossas regalias por sermos mulheres

afinal se tudo fosse igual (lema de "mulher moderna" é igualdade entre os sexos)não teria diferenciação na fábrica ;)

Groo Veiga disse...

Ohhh...sim, elas existem! Mulheres que não dispensam um carinho, um cavalheirismo!

Veja como são as coisas: gestos de cavalheirismo e de carinho são considerados, por muitas mulheres, como "coisa de frouxo" e até afeminado!

Acho que um monte de feminista levou muito a sério o conceito de "igualdade"...

abs!

Jeff McFly disse...

Olá, Ana!

Cara! Fiquei maravilhado com o seu post. Pena que boa parte das mulheres não pensam como vc. Triste do homem que é cavalheiro. as vezes (ou sempre), os bonzinhos se fodem... mas isso um dia irá mudar, né?

Ps. Adorei o teu blog. Posso linkar lá no Arroto?

Guerras Secretas disse...

Putz, pior que é verdade...mulher idependente não é mais excessão, é regra, é lei, é obrigação...nunca cheguei a passar nenhuma saia justa por causa de ser cavalheiro, até então nenhuma mulher nunca se negou a passar por uma porta que eu tenha aberto, mas existem por aí as radicais, nunca se sabe né...

Johnny M. disse...

À essas feministas chatas e recalcadas o que falta é homem.

MaxReinert disse...

Eeeeeeeeeee!!!
Muito em dona Ana!

Sim, ainda existem homens cavalheiros e mulheres femininas (que redundância!!! Ou não?)

O melhor de tudo é perceber que ainda existem pessoas que afirmam o que são, sem se preocupar com a aopinião dos outros ou a "moda"!!!

Bjzzzz

Martinha disse...

gostei do seu blog. bem interessante!

Camila Passatuto disse...

nossa o post me surpreendeu pq suas ultimas frases foram os meus primeiros pensamentos ao começar a ler o texto rsrsrs incrivel....


Mas discordo de vc e de mim...Meww q perseguição com nós mesmas...muita neura, Mulher é Mulher oras, moderna ou arcaica, macho ou feminina...

Adrianah Aguiar disse...

De tão preocupada em se valorizar a mulher acabou se desvalorizando.

tbm acho o cavalheirismo o máximo e forma oas mulheres que causaram em grande parte a quase extinção desse comportamento.

A mulher "evoluiu" tanto que hoje dança as músicas que chamam elas de cachorras e sinônimos.

Claro que ainda existem as exceções, eu sou uma delas, e sou feliz por isso.

Larissa Bohnenberger disse...

Concordo plenamente. Porque depois de séculos de escravidão numa sociedade machista, quando a mulher se liberta, surge logo um oponente: o feminismo. Para quê machismo? Para quê feminismo? Porque as pessoas não simplesmente fazem o que têm vontade? Sejam o que quiserem ser! Vivam a vida que querem viver! Vou começar uma campanha!
Eheheheh!
Bjs!